Material de Apoio Reunião de Jovens e Obreiros 15/12/2012

ATIVIDADE PARA JOVENS E OBREIROS – 15/dez/12

            – ASSUNTO: DOUTRINA VIVIDA PELA IGREJA

            – TEXTO FUNDAMENTAL: NOVO TESTAMENTO

 

TEMA: A DOUTRINA COMO HERANÇA

AFIRMAÇÃO:

O TEXTO DE JOÃO 7:15-17, CONFIRMA QUE A DOUTRINA NÃO ESTÁ LIGADA A HOMENS OU A CONHECIMENTOS HUMANOS.

ATIVIDADE:

IDENTIFICAR E COMENTAR 3 (TRÊS) EXPERIÊNCIAS VIVIDAS PELA IGREJA QUE EVIDENCIARAM QUE A DOUTRINA É DE DEUS

“E os judeus maravilhavam-se, dizendo: Como sabe este letras, não as tendo aprendido? Jesus respondeu e disse-lhes: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus ou se eu falo de mim mesmo.”. João 7:15-17

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

INTRODUÇÃO

O capitulo 7 de João fala sobre a ida de Jesus a Jerusalém para participar da ultima festa do ano, que era a Festa dos Tabernáculos. Era uma das festas mais concorridas, por se tratar da última e ter um período de duração de 8 dias, sendo o oitavo dia o “grande dia da festa”. (verso 37)

O verso 15 demonstra que as pessoas ficavam maravilhadas de ver Jesus falando de uma forma tão bem explicada sobre o reino de Deus, pois ele estava ensinando no templo. A admiração das pessoas era porque comparavam sua forma de ensinar com o fato de não ter aprendido letras, ou seja, frequentado alguma escola especial de formação cultural.

Na sua resposta no verso 16, o Senhor Jesus deixa claro que a doutrina que ele estava ensinando não depende de conhecimento cultural humano, mas trata-se de um ensino que ele estava transmitindo da parte do Pai, ou seja, “aquele que O havia enviado”. Acrescentou no verso 17 que a única forma de se constatar se a doutrina provém do Pai ou daquele que a anuncia, é através do critério de fazer a vontade do Pai.

Em resumo: a autenticidade de anunciar uma doutrina proveniente do Pai está no fato de que o anunciador precisa fazer a vontade do Pai. Em outras palavras para conhecer se alguém está anunciando a verdadeira Palavra de Deus é só constatar se ele está vivendo aquilo que prega. O que leva o ouvinte da Palavra a ter certeza de que a mensagem é verdadeira é o testemunho de viver a mensagem que prega e não a cultura ou eloquência do pregador. Em Mateus 7:28-29 as pessoas chegam a fazer diferença entre a autoridade que não existia na doutrina dos fariseus e a autoridade existente na doutrina do Senhor Jesus.

I – ATIVIDADE:

IDENTIFICAR E COMENTAR 3 (TRÊS) EXPERIÊNCIAS VIVIDAS PELA IGREJA

QUE EVIDENCIARAM QUE A DOUTRINA É DE DEUS

1ª. EXPERIENCIA – a Palavra anunciada com ousadia

Atos 4:13 – “Então, eles, vendo a ousadia de Pedro e João e informados de que eram homens sem letras e indoutos, se maravilharam; e tinham conhecimento de que eles haviam estado com Jesus.

COMENTÁRIO

A mensagem de Pedro e João aqui no texto trata-se da mesma experiência com relação ao Senhor Jesus, pois ela não teve qualquer manifestação de cultura, mas refletia a convivência que tinham com Jesus. Não eram eloquentes pregadores, mas tinham experiência com Jesus.

2ª. EXPERIENCIA – a escolha de Matias para substituir Judas

Atos 1:21-22 – “É necessário, pois, que, dos varões que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus entrou e saiu dentre nós, começando desde o batismo de João até ao dia em que dentre nós foi recebido em cima, um deles se faça conosco testemunha da sua ressurreição.

COMENTÁRIO

O critério de escolha de um apóstolo: a convivência com o Senhor Jesus desde o inicio do Seu ministério no batismo de João, até à sua assunção ao céu. José Barsabás e Matias preenchiam esse critério. A convivência diária e constante com o Senhor Jesus é que confere autoridade àquele que anuncia a Sua doutrina.

3ª. EXPERIENCIA – os dons espirituais

I Coríntios 12:3 e 6 – “Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos”.

COMENTÁRIO

A doutrina dos dons espirituais não era uma herança de homens, mas homens falando da parte do Espirito Santo. A igreja testemunhou das operações do Espirito Santo no meio dela através do uso nos dons espirituais. A igreja foi usada em todos os dons espirituais. Quem opera a diversidade dos dons é Deus, ou seja, a benção dos dons provém de Deus. Não foi uma invenção dos apóstolos, mas sim um ato da misericórdia do Senhor para edificar a igreja.

Top